Não faça o curso, faça o professor.

Me refiro aqui à cursos livres, rápidos, onde o que importa é o conhecimento adquirido e não o diploma. Um curso universitário é, na realidade, a somatória de vários pequenos cursos que chamamos de disciplinas. O problema é que na maioria deles não se aprende nada de prático, só conhecimento histórico, de como se chegou até aqui.

Bom, voltando ao tema, como saber se eu devo fazer um curso? As pessoas costumam olhar a duração, o preço, a ementa, a instituição, às vezes, o nome do professor. E aí mora o grande erro. As pessoas fazem cursos muito mais preocupadas com os quesitos formais que é o título, o diploma e a instituição do que com a alma do curso, que é o professor. O professor é o que mais importa em um curso. Primeiro o tema (o que inclui a ementa, óbvio, para não fazer um curso sobre coisas que não te interessam) e em seguida o professor.

Em tempos de Facebook e Youtube é inadmissível que alguém que se disponha a dar um curso não tenha material público disponível na internet. Se a única maneira de conhecer o professor é se matriculando no curso, já te afirmo, não faça. Trata-se de alguém preguiçoso, ultrapassado e pouco generoso, pois o mínimo que ele devia fazer era gravar um vídeo de poucos minutos se apresentando e apresentando o curso.

Para você extrair o máximo de um curso, o principal é que você tenha admiração pelo professor. Admiração não só pelo seu nível de conhecimento, mas pela maneira que ele passa o conhecimento, pela sua dedicação. Se ele está realmente se importando que você entenda o que ele diz, se tem boa oratória, se é uma pessoa sensível, inteligente em vários aspectos e não aquele infeliz cheio de conhecimento técnico e habilidades interpessoais quase nulas.

Um bom professor vai te dar o caminho das pedras, te mostrar as principais dificuldades de compreender e desempenhar bem naquele tema e não apenas te repassar informações que estão disponíveis nos livros. E tem muitos professores que são apenas “profissionais”, vêem sua profissão apenas como um ganha-pão. Não estão preocupados em iluminar os caminhos dos alunos, ajudá-los a buscar a verdade, a superar suas dificuldades.

Respondendo à pergunta se você deve fazer esse curso: faça se você admira e quer ser como o professor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *