Graduação ou Curso de Formação?

Por Roger Brys Volz

Você pai ou mãe que tem um filho querendo seguir a área de TI (Tecnologia da Informação). Você já o preparou num bom ensino básico e agora começam os preparativos para o vestibular (Ensino médios Só serve para isso) ou ele já está no meio, entediado, não vendo a hora de chegar ao fim…. Pense agora que ele já terminou o ensino médio. Você está para matriculá-lo numa faculdade particular que custa R$700/mês, ou até mais.

Vamos pensar o seguinte. Durante os 4 anos de graduação do seu filho você terá custos com transporte, alimentação fora de casa, livros, apostilas… Se seu filho não tiver boa base de inglês terá que pagar um curso em paralelo pois tudo desta área tem documentação escrita em inglês. Ainda pode contar que aparecerão extras no meio do caminho. Guarde esta informação, já vamos retornar a ela. Agora pense no que é importante para quem contrata um profissional nesta área. Pensou?

Agora lembre-se que Mark Zuckerberg, Steve Jobs e Bill Gates não se formaram em nenhuma faculdade. Eles aprenderam e desenvolveram ferramentas de alcance global sem um diploma. Eles sabiam e contratavam quem sabia fazer o que eles precisavam.

Em TI, diferente das profissões regulamentadas como Engenharia, Medicina ou Direito, vale mais você tirar uma certificação em uma certa tecnologia do que um diploma. Nesta Empresas Microsoft, Oracle, Sap, Android, IOS, entre tantas outras, existem certificações das mais variadas. Você tirando uma certificação em determinada tecnologia destes fornecedores te credencia a trabalhar na área.

Pense um pouco, o que isto significa?

Significa que seu filho pode ter 16, 17 ou 18 anos e se estudar e tirar uma certificação já pode trabalhar. Mas pense que eles não demonstraram interesse no ramo agora. Desde os 12, 13 anos já estão aprendendo por conta.

Pai, mãe é aí que vocês entram.

Aquele valor mensal a ser gasto numa graduação lá do início deste artigo, se gasto com mais sabedoria, agiliza e amplifica muito o resultado que seu filho pode obter.

Pare agora e entre nos sites abaixo. Dê uma olhada na variedade e qualidade dos cursos. Cursos online com material digital na tela do computador do seu filho. Ele até já deve conhecer alguns destes sites. Talvez conheça até mais.

https://www.udemy.com

https://br.udacity.com/

https://pt.coursera.org/

Agora OLHE O PREÇO dos cursos. Se você está lendo este artigo próximo a data que estou redigindo você verá que há vários cursos, com dezenas de horas e conteúdo de qualidade por não muito mais que R$ 30,00. Isto mesmo. Trinta reais por um curso que será seu, e ficará na sua conta enquanto o site existir. É seu.

Pense no que isto significa. Ensino de qualidade a um clique do mouse e o mais importante. Mais barato. Muiiiiiiito mais barato.

Você pega a diferença do que iria gastar e investe num bom equipamento para ele. Parcelado mesmo. Ele inicia seus cursos e muitas vezes no meio dos cursos vai percebendo qual será o próximo que ele precisará saber para que consiga seguir em frente. Está com dúvida se ele é o melhor para tomar estas decisões?

Converse com ele e descubra um curso presencial de curta duração que dê o início do ensino. Ele só precisa de um pontapé inicial. Nesta área o que tem que aprender desde o primeiro dia é que terá que aprender sozinho, quase sempre.

Será na solidão da tela do computador, com uma documentação aberta que ele aprenderá. Ele aprenderá também que não é o único nesta jornada e participará em fóruns de colegas desenvolvedores que também têm dúvida. Aí, um ajudando o outro começará a sua jornada profissional.

Mas você se perguntará muitas vezes se está fazendo o certo. Se ele não precisa de um diploma para ser bem-sucedido. Este tempo inicial que ele passou fazendo os cursos online e presencial, tendo contato com outros desenvolvedores e colegas, correndo atrás de um trabalho júnior desde cedo responderá a você qual o caminho a ser tomado. Se ele consegue vislumbrar o mercado de trabalho que está inserido ele saberá se será necessário fazer um curso de graduação. Muito provavelmente não.

Talvez ele decida fazer um online para ter um diploma e não ter esta barreira mas te garanto que se ele decidir por isso ele já terá se encontrado na profissão. Isto não tem preço.

Ele não entrou numa faculdade sem ter certeza de que era o curso certo a fazer. Ele não terminou um curso que sempre teve dúvidas enquanto cursava pra se dar conta que só perdeu tempo durante a faculdade. Ele já entrou naquele curso que se identificou através da aquisição de novas habilidades na área. Agora é só seguir em frente e se desenvolver mais.

Aqui o exemplo usado foi na área da Tecnologia da Informação, mas perceba que se você mudar o nome do curso para Design, Moda, Administração de uma empresa da família, entre tantas outras profissões você pode ter o mesmo resultado.

Antecipar o teste da profissão que seu filho seguirá investindo em cursos antes do momento de entrar para uma graduação ou até mesmo retardando um ano sua entrada pode ser determinante para ele não escolher errado. Escolher errado não quer dizer que ele não se formará, mas sim que talvez não obtenha tão bons frutos como se tivesse realmente fazendo algo de que gosta.

A formação pessoal vem muito de berço, mas também tem treinamento e a técnica não necessariamente passe por uma graduação. Talvez a vocação dele não necessite de diploma e sim de formação pessoal e técnica na área. Pense nisso. Forçar seu filho a seguir um caminho acadêmico pode não ser o melhor pra ele.

Escutar ele falar no futuro que não queria estar fazendo o que faz pode nos trazer uma dor muito maior do que a dor de deixar ele seguir seu próprio caminho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *