A culpa é do RH

Os RHs das empresas criaram um método para reduzir o número de candidatos para as vagas que exigem menos habilidades específicas dos candidatos. Esse método consiste em exigir diplomas.

Ou seja, exigir diplomas tem pouco a ver com as habilidades requeridas para a vaga em aberto e tem o verdadeiro objetivo de diminuir o trabalho de seleção do melhor candidato.

Pode questionar qualquer profissional de RH sobre o nível dos candidatos recém-formados. Garanto que eles serão unânimes em afirmar que o nível está péssimo, que não sabem escrever nem fazer contas e que o diploma, há muito tempo não é mais garantia de boa formação. Então, por que raios eles continuam a exigir diplomas dos candidatos?

Ora, para reduzir o número de candidatos! Eles argumentarão que “se exigindo diploma já aparece essas tralhas aqui, imagina se não exigirmos”? Ou seja, devido à incapacidade do RH de identificar as habilidades de um candidato de forma rápida, é melhor colocar uma barreira que não significa muita coisa e assim reduzir o trabalho.

“Catbert, o malvado diretor de Recursos Humanos. – Nossa nova política é nada de tomar café durante o horário de trabalho. – Isso deve tirar toda a dúvida de que nossas políticas são criadas para qualquer outra razão se não a maldade. Dilbert: sua honestidade é um refrigério! Catbert: Pare de estragar o momento!”

O grande problema é que esse procedimento criou nos jovens a pressão de conseguir o tal diploma o mais rápido possível. E aí escolhem um curso de graduação muito jovens, sem qualquer experiência de vida e se comprometem por 4 ou 5 anos nesse curso que muitas vezes depois se mostra inútil às suas ambições profissionais.

A sociedade precisa arrumar uma maneira de pressionar os profissionais de RH a buscarem maneiras mais efetivas de selecionar seus candidatos. Essa exigência burra de diplomas, que prefere um analfabeto graduado a um gênio sem diploma tem consequências nefastas nas vidas dos jovens e só tem favorecido as faculdades, lotadas de pobres coitados que gastam um dinheiro que não têm para conseguir o tal diploma.

2 comentários em “A culpa é do RH

  1. Já ouvi história de advogado formado que preferia continuar trabalhando de garçom pois ganhava mais.
    O título é só um papel sem valor se não se sabe como usar.
    A vida é mais que isso mas quando jovens não sabemos disso.
    Esta reflexão é o primeiro passo pra que o status mude. Parabéns Augusto.

    1. Um dia ainda vou num evento de RH em São Paulo, daqueles bem pomposos, e vou fazer uma panfletagem esculachando esse método de seleção deles, hahaha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *