O carro na frente dos bois

A pressa em ter um “canudo” é um inimigo mortal da busca pela vocação.

Ainda me lembro de quando eu estava no 3º ano do ensino médio e a professora de geografia fez o favor de jogar esse fardo nas costas dos alunos: “cada ano que você demora pra entrar na universidade são 2.000 profissionais que entram no mercado antes de você”! Como se a formação universitária e o mercado de trabalho fossem um ônibus com 52 assentos e quem chega antes viaja sentado e o restante viaja em pé ou fica de fora.

Buscar um diploma antes de uma formação pessoal básica é colocar o carro na frente dos bois.

O diploma é uma especialização. Ele deveria querer dizer o seguinte: “eu, João da Silva, ser humano esperto, inteligente, possuidor de técnicas básicas de comunicação, matemática e conhecimentos gerais, sou advogado”. Mas ao invés de ser visto como uma especialização na formação do ser humano o diploma está sendo visto como um atalho. E chegar numa entrevista de emprego ou numa apresentação para um potencial cliente sem o domínio básico das habilidades pessoais é pagar mico e o resultado é a frustração.

Então, não coloque o carro na frente dos bois. Fortaleça-se como ser humano antes de ser um profissional. Exponha-se ao máximo de situações que exijam você perder o medo de falar em público e o medo de ser rejeitado. Aprenda matemática, formação de preço e fluxo de caixa. Desenvolva a paciência, as técnicas de conversação (sim, isso existe) e a compreensão. Entenda como funciona o processo de tomada de decisão de compra ou contratação. Com um arsenal razoável de habilidades pessoais e profissionais, qualquer que seja a profissão escolhida, o caminho será mais facilmente percorrido.

Fortaleça os bois e só depois escolha a carga.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *